posts.png
 

Ego sum pastor bonus

Atualizado: 4 de ago. de 2021

"Eu sou o bom Pastor"

Em recente viagem ao interior de São Paulo, acabei entrando numa igreja central pra ver os belos ornamentos (ainda que muito idólatras) e de tantos quadros representando a vida de Jesus, me deparo com esse da foto. Escrito em latim, como quase que por regra nas igrejas católicas antigas, essa referência chama a atenção. E, de fato, muitas vezes essas ilustrações servem pra aumentar nosso entendimento sobre as escrituras e verdades bíblicas, que, por serem tão simples (como é o verdadeiro evangelho) são ignoradas e/ou esquecidas por nós.

Sabe aquele amor fervoroso que ouvíamos falar no início da nossa conversão?

Sabe aquele abraço gostoso do evangelho depois que nos libertou da escravidão do pecado?

Não podemos virar teólogos frios, egocentristas e soberbos, fartos de entendimento escassos de amor. Amor esse que faz com que tenhamos energia e coragem pra sair em busca das ovelhas perdidas da casa do Pai. Amor pra resgatar o irmão que se perdeu; amor pra corrigir, exortar e consolar nosso próximo.

Quando no capítulo 10, do evangelho escrito por João, Jesus começa o quinto debate discursando sobre o bom pastor, Ele nos apresenta a diferença entre os ladrões e salteadores em relação ao que é verdadeiro. Ele apresenta os falsos messias, falsos mestres, que apareceriam (e apareceram) em grande número na Palestina do primeiro século da era cristã (e até os dias atuais).

Ele fala sobre caminho. Ele é O único caminho, a única porta. (vs 9)

Ele discursa sobre os objetivos do ladrão (vs 10).

"Eu sou o bom pastor". Como bom pastor, Cristo deu sua vida por suas ovelhas e tornou-se a porta para o aprisco de Deus (vs7); como o grande Pastor (Hb 13.20-21), Ele ressuscitou dentre os mortos para cuidar de suas ovelhas; como Supremo Pastor (1Pe 5.4), Ele virá outra vez para buscar as suas ovelhas.

No versículo 16, Ele diz " Ainda tenho outras ovelhas..." se referindo aos gentios que viriam a crer e que, juntamente com os judeus convertidos, formariam um corpo espiritual, a Igreja (Ef 2.16).

Se Jesus, em toda a sua glória, teve amor por nós, seres limitados, pecadores, a ponto de dar sua vida para termos a vida eterna, por que não termos o mínimo de compaixão pelo próximo?

Tudo o que o Senhor nos ordenou, Ele nos ensinou, mostrando como se faz.

E pra encerrar, pode parecer difícil a pergunta, mas é sobre ela que baseamos nossa entrega:

" Você estaria disposto a abrir mão da sua vida pra salvar outra (s)?"

37 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

como é bom mergulhar no imensurável amor, de Deus o amor que suportou a cruz que rasgou o véu que transforma pegadores em filhos amados e lança no mar a ignomínia do pecado para dele não lembrar mais.

No descansar da terra a semente lançada faz com que ela de os melhores frutos.

Um coração amargurado se torna o solo perfeito para a semente da incredulidade.